sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Jogadores "Passivos"


Olá galerinha, tudo bom? Iniciarei 2013 com um artigo que é o oposto da primeira matéria postada no blog: “Jogadores “Maníacos”. Trata-se de jogadores TÃO conservadores que se tornam previsíveis e metódicos demais em suas decisões.

São os jogadores “passivos”.


Antes de qualquer coisa, é necessário acabar com um conceito que é difundido e praticado há anos no Yu-Gi-Oh!, que acredito ser bastante equivocado. As pessoas costumam dizer que o estilo conservador de jogar é o “certo”, já que você acumula recursos e tenta lidar com as ameaças do oponente usando o mínimo de investimento possível. Embora essa teoria pareça racionalmente coerente, ela gera diversos padrões de ações em sua aplicação, tornando o jogador em questão EXTREMAMENTE previsível. 

Eu posso afirmar com convicção que NÃO existe um melhor estilo de jogo. Você não deve ter um estilo só, deve ter todos. Tudo é tão variável que fica impossível determinar o melhor estilo a se aplicar ou saber se é a melhor escolha possível para determinada situação. Isso não serve só para o Yu-Gi-Oh!, como também para a vida.

Como alguém muito inteligente disse alguma vez em algum lugar:

“Quem se define, se limita”.

Algumas das melhores características que você pode ter no jogo são: Adaptabilidade e Improviso, mas isso é assunto pra outro artigo.

O jogador passivo é aquele que costuma fazer X-2 com frequência em torneios. Eles sentem que falta alguma coisa para alcançar um top com consistência, mas não sabem o que é, afinal, nas suas mentes, estão jogando “certo”. Como sua concepção de jogar certo é a de conservar recursos, logo, a culpa de ficar no “quase” é sempre do deck, do oponente, do “metagame”, do Heavy, da Rita, de todos, MENOS dele mesmo.


É um fenômeno no mínimo curioso, pois esse tipo de jogador está tão certo que está executando jogadas corretas, sendo que ele não possui, praticamente, nenhum senso crítico de suas próprias ações e atribui todo o motivo do revés que possa a vir a acontecer a algum fator externo, que ele não percebe o que está fazendo de errado. É exatamente esse tipo de raciocínio que o impede de melhorar.

Eles têm alguns conceitos do jogo bem absorvidos, como a questão da “vantagem” e do “controle”. O problema é que eles tomam isso como verdades absolutas e se impedem de analisar outras variáveis que o jogo possui, e isso custa muitos jogos, acredite.

Algumas características “off-game” que PODEM dar alguma pista sobre esse tipo de jogador são :

Arrumação excessiva das cartas no campo: Organização tende a ser uma característica natural de um jogador passivo. Mas cuidado para não confundir com um jogador de alto nível. Estes também possuem essa singularidade. No caso dos jogadores passivos, isso é mais aparente, chegando ao ponto de querer fazer com que as cartas do campo fiquem simetricamente alinhadas e eles reorganizam assim que podem. É praticamente um TOC por controle.

Timidez e desejo aparente de não chamar a atenção: Pessoas passivas possuem grandes chances de se tornarem jogadores passivos. Tenha isso em mente, embora não seja uma regra.

Depois de reconhecido, você tem que se aproveitar do principal defeito do jogador passivo: O medo.

Eles simplesmente têm medo de tudo, PRINCIPALMENTE do Gorz e das mass-removal como Heavy Storm, Torrential Tribute, Mirror Force e Dark Hole. Eu não estou dizendo que você deva se transformar em um maníaco e se jogar nas traps do oponente como se não houvesse amanhã e atacar com o seu Rai-oh direto sem ter nenhuma resposta pra um Gorz potencial, mas existe um limite no receio que o jogador deve ter. Esse tipo de leitura de jogo é uma habilidade que o passivo não possui.

Esse medo deriva das duas características descritas anteriormente. O conceito de vantagem sendo levado extremamente ao pé da letra e a sua passividade natural como pessoa. O conceito de vantagem está tão enraizado no jogador passivo que ele simplesmente se recusa a assumir qualquer risco que possa envolver um Torrential 2 pra 1, por exemplo.

E quem é o seu grande amigo para tirar proveito disso tudo?

O Blefe.

A quantidade de jogos que eu já ganhei na minha carreira por blefar contra jogadores assim são incontáveis. O medo deles é tão grande que você pode blefar um Mirror/Torrential que eles simplesmente vão te pressionar com o mínimo possível. E isso pode te dar turnos preciosos naquelas mãos que vieram bem ruins. Eles constantemente olham os cemitérios procurando essas cartas e, se eles não as encontram, praticamente assumem que você as têm. Caso você saiba agir da forma correta e simular que você realmente as possui em campo (o que é difícil e necessita MUITO treinamento e controle das próprias emoções) conseguirá ter ótimos resultados contra esses oponentes.

Ele é tão ligado ao conceito de vantagem que quando joga contra um oponente que executa uma jogada na qual poderia tomar um Torrential, ele pode ficar indignado com a sua “imprudência” e pode até comentar o quanto você joga “mal”. Obviamente, ele ignora toda e qualquer leitura que você possa ter tido das “backrows” deles durante o jogo, já que ele quase não faz isso. Simplesmente assume que você faria o mesmo que ele.

Bom, é isso por hoje. Espero que tenham gostado do primeiro artigo de 2013.

Qualquer dúvida, fiquem à vontade e enviem através dos comentários.

Por favor, curtam a nossa página no Facebook e fiquem por dentro de novidades sobre estratégias, torneios e campeonatos, além de saber quando um novo artigo estiver no ar. 


E se inscrevam no nosso canal no Youtube assistam partidas de torneios, profile dos decks usados e muito mais.


Até a próxima galerinha!

E lembrem-se:

É muito menos sorte do que você imagina...

PRRJ

30 comentários:

  1. A cada post, me surpreendo mais em cara =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu cara! =)

      Continue acompanhando !!

      Excluir
  2. Obrigado Paulo, me identifiquei com o post, e acabei de perceber, que eu sempre ganho a primeira match pq sou regularmente ofensivo e faço a leitura correta, e nas outras eu simplesmente uso o ato coerente de me defender, de coisas que nao são nada, até por isso perdi pro JP Medeiros num top 8 de super torneio..vou rever isso, treinar e ver como eu me saio..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A chave sempre é o treino e a auto-crítica.

      Continue assim !!

      Abraço.

      Excluir
  3. Muito bom artigo , você devia fazer um artigo sobre sidear , tipo, o que devemos tirar e tals .... só uma dica mesmo ... atualmente ,esse blog é o melhor na minha opinião , pois fala de coisas realmentes importantes para quem leva yugioh como um esporte não como brincadeira..

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelos elogios. =)

      Eu ainda vou fazer um artigo sobre side. C

      Continue de olho!!

      Abraço.

      Excluir
  4. Excelente PRRJ parabéns!! Acho que foi o melhor artigo até agora, muitas pessoas vão se identificar com o texto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita gente disse que se identificou mesmo... haha

      Espero melhorar a cada artigo. Que bom que você gostou. =)

      Abraço.

      Excluir
  5. Muito bom seu artigo cara, parabens, concordo em muito com sua opinião. Na minha humilde opinião o ataque vai sempre levar a melhor contra a defesa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não é ataque>defesa.

      É tudo muito relativo. =p

      Abraço.

      Excluir
  6. Muito boa a matéria cara, parabéns realmente mta gente vai se indentificar com o citado acima.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza também tiro muitos dos meus duelos pelo blefe, ja setei Heavy Storm e dei cara de Mirror Force e o cara caiu, essa é uma extrema mais não é realmente fácil identificar então esses tais "jogadores passivos" tentam de toda forma destruir as spell/trap setadas, ou simplesmente deixar uma defesa e encerrar. Boa matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Setar Heavy pode ser arriscado ou devastador. =)

      Excluir
  8. Cara você é simplesmente um gênio desse nosso yugioh brasileiro um dia ainda terei a chance de jogar contra você.
    E uma pergunta, jogar com o meta atual também pode ser uma caracteristica de um jogador passivo ,porque na cabeça deles deve ser o deck com menos Dead Draws e maior controle de jogo???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso é relativo, qualquer jogador que quer competir vai querer usar os metas atuais, ou pelo menos a maioria deles.. então é impossivel distinguir pelo deck que o cara usa..

      Excluir
    2. Só me procurar no DN que a gente joga. =)

      Meu nick lá é PRRJ.

      Muito obrigado pelas palavras. =)

      Abraço.

      Excluir
  9. adorei o artigo muito bom, completo e instrutivo para vários jogadores parabéns! :D

    ResponderExcluir
  10. Muito bom esse artigo xD conheço alguns amigos que tem esse perfil aew, engraçado que até com uma carta setada eles já pensam que se trata de uma mirror force, por exemplo, ashuashuashuashu

    ResponderExcluir
  11. Paulo você acha que existe ligação em jogadores passivos e decks anti-meta,já que estes lhes dariam mais segurança,pois conferem ao jogador mais controle de campo?

    ResponderExcluir
  12. Opa, acho que me identifiquei hahaha. Vou procurar mudar algumas coisas em mim mesmo, baseado nisso.

    ResponderExcluir
  13. Muito bom o artigo, adorei, ri muito com a Rita. Me identifiquei bastante, sou muito passivão mesmo kkkkkkkkk, morro de medo de backrow acho que isso é porque eu não gosto muito de traps (quase não uso em qualquer deck que eu faço), pra vc ter noção uma vez eu tava jogando com o meu amigo e ele tinha 3 cartas setadas e eu achava que uma delas era a mirror force, eu fiquei tanto tempo sem atacar e comprando cartas que eu acabei perdendo porque ele passou o turno e eu não tinha mais cartas no deck pra comprar. E no final nem era a mirror force, ele acabou comprando ela depois e setou já quase no final do jogo, e se eu tivesse atacado enquanto tinha vantagem e não ligado para os blefes eu teria ganhado o jogo muito antes.

    Hoje em dia estou um pouco melhor, mas ainda morro de medo de Gorz e de qualquer cartinha setada, então sempre deixo um plano B pra qualquer caso. E acho que o que me ajudou com isso foram 3 coisas:

    1- Jogar com vários tipos diferentes de decks - Isso ajuda porque faz você conhecer várias estratégias diferentes e se acostumar com várias situações diferentes, e consequentemente você começa a se adaptar com mais facilidade a várias situações e enxergar qual a melhor solução.

    2- Jogar contra você mesmo - Pode parecer estranho mas é na minha opinião a maneira mais fácil de se auto-analisar já que como você é o seu oponente, fica mais fácil saber onde você acertou, onde você erou, quais são as suas manias e etc. Além do mais te ajuda a compreender a situação dos dois lados.

    3- Se arriscar de vez em quando - As vezes aquele Honest ou aquela Torrential nem são tão ruins quanto você imaginava, de vez em quando parece ser o fim do jogo mas muitas vezes você acaba se recuperando bem e as veze até melhor do que o seu oponente, isso mais uma maneira de aprender a se adaptar a qualquer situação. Fora que MST setado é o que mais tem, e as vezes é um blefe até meio que involuntário.

    Bem é isso, o comentário ficou gigante, mas eu tinha que falar, eu vi que tem bastante gente se identificando com o post e queria dar umas dicas, mas o que mais ajuda mesmo é o treino, depois de bastante prática você começa a saber diferenciar blefe de defesa, e com o tempo a analisar o seu oponente. Continue com esses ótimos post, e algum dia eu ainda jogo contra você, mas não pela internet.

    ResponderExcluir
  14. ótimo artigo, vc deveria dar umas dicas contra inzektor (da mesma maneira q vc ja fez com outros decks)ou mesmo dicas de como usar certos decks para iniciantes.

    ResponderExcluir
  15. Muito bom esse e todos os seus outros artigos. Estou acompanhando o blog e fiquei bem animado quando hj cheguei de viagem e vi que tinha um novo post seu (legal, vamos aprender mais sobre yugi!). Estou preocupado com a próxima banlist, pois jogo de wind-up e acho que é um deck que pode ser "targuetado" por ela... Procurei em vários lugares por alguém que pudesse me responder o que provavelmente será restringido pela ban e também por previsões dela, que é o que mais tem, só que nenhuma racionalmente possível. Tinha algumas como "Dragged Down Banida!", "Mst limitado", se não me engano... Não estava procurando alguma análise e previsão para a próxima lista que me tranquilizasse, dizendo "calma, tudo ficará bem", mas uma boa análise, o que tenho certeza que você saberia fazer. Também acho que seria um post que interessaria muitos players. Outra ideia de post que achei bem legal foi comentada aqui, que seria um post sobre side, a parte que eu mais gosto do Yugioh. Então é isso, seguirei acompanhando seus ensinamentos que estão ajudando bastante a melhorar, o que é o que eu busco diariamente.

    ResponderExcluir
  16. Como sempre um excelente artigo do paulo leitura obrigatória pra quem quer chegar nos futuros TOPS.
    O estudo do Yugioh em todas suas formas Deve ser constante, pra ser um meta gamer:
    Ler e reler todas as regras do seu deck no wiki
    Ler as regras e duvidas nos fóruns oficiais
    Ler e conhecer as regras de cartas de side
    Ler as regras dos decks metagames
    Ler artigos de Yugioh
    Ler o artigo do Paulo
    Tudo isso ajuda a melhorar seu jogo
    A pratica e estudo leva a perfeição , com tudo isso em mente e mais é 90% de se chegar nos TOPS
    ABRAÇOS PAULO

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Cara, você é demais, fico feliz em saber que tem alguém que pensa da mesma forma que eu

    ResponderExcluir
  19. Conheça a primeira rede social de card game do brasil

    http://cardline.com.br/

    ResponderExcluir